Como difundir pensamento visual na sua organização

Pensamento Visual ( ou Visual Thinking ) tem recebido cada vez mais atenção. Cada vez mais pessoas se desprendem da noção ( equivocada ) de que Pensamento Visual é para quem sabe desenhar. E com isso vem um apetite cada vez maior para aprender técnicas e as aplicar na vida e no trabalho.

Aplicar novas ideias na nossa vida pessoal é bastante simples, mas no trabalho essa missão se complica. Trabalhamos em organizações com pessoas únicas, com formas de pensar e trabalhar diferentes da nossa e muitas vezes até com interesses opostos. Não adianta pensar nisto como algo ruim, simplesmente é a realidade da vida em sociedade.

Quando várias pessoas trabalham juntas sobre um mesmo tema, apesar de todo o esforço de alinhamento prévio, cada pessoa tem uma imagem mental ( 😉 ) diferente.

Para quem já começou a aplicar um pouco do Pensamento Visual em suas tarefas, existe um caminho para disseminar essas ferramentas para o resto da organização. E não, nem sempre o melhor é começar com um workshop de pensamento visual.
A melhor forma para pensar neste trabalho de divulgação é em círculos:

Ilustração esquemática com 3 círculos concêntricos: No menor está o domínio pessoal, no intermédio, o domínio da equipe e no mais afastado está o da gerência. A ideia é mostrar os diferentes níveis para disseminar o pensamento visual
  1. O círculo pessoal das suas tarefas;
  2. O círculo da sua equipe;
  3. O círculo da sua gerência ou diretoria;

Círculo pessoal das suas tarefas

O círculo pessoal das suas tarefas é fácil de entender: as coisas que você precisa fazer e onde não há muita interação com outros colegas. Podem ser as suas anotações de uma reunião, a sua lista de afazeres, como você compara opções de fornecedores ou mesmo como organiza o esboço de um projeto.

Estes momentos em que você trabalha em algo que ainda não precisa ser mostrado são excelentes oportunidades para desenvolver a sua confiança.

Neste momento não há pressão e você pode utilizar qualquer material. Basta um caderno e uma caneta ( para quem gosta de cadernos planner, isto é muito fácil de entender ). O objetivo é praticar e ficar confortável. É uma fase muito legal para encontrar as suas próprias soluções ou o seu estilo.


O cartoon mostrado 12 ilustrações de cadernos em diferentes níveis de cuidado e utilização. O último caderno está novo, sem uma única anotação. É o caderno do perfeccionista. Para quem é muito perfeccionista pode ser mais difícil disseminar o pensamento visual.
Este cartoon fantástico é de Grant Snider, que tem um estilo simples, mas mensagens incríveis. Você deveria conhecer mais coisas dele. Link para o post dele original:
http://www.incidentalcomics.com/2012/09/sketchbooks-of-pros.html

Círculo da sua Equipe

O Círculo da sua equipe é ligeiramente maior. Aqui você pode ter um papel muito especial se já estiver mais confortável a representar os seus pensamentos. Talvez possa ser uma excelente captadora dos pensamentos dos outros!

Quando várias pessoas trabalham juntas sobre um mesmo tema, apesar de todo o esforço de alinhamento prévio, cada pessoa tem uma imagem mental ( 😉 ) diferente. Parece que todos concordam, mas na verdade cada um concorda com uma interpretação própria.

Quando desenhamos a ideia de uma pessoa, podemos perguntar “eu entendi direito? É isto que você está pensando?”. É o mais parecido que temos com telepatia e devemos aproveitar esse poder.

É no círculo da equipe que você vai começar a desenhar mais na frente dos outros. Vai utilizar o quadro branco ou o flipchart. Vai puxar de uma folha sulfite e criar aquele esquema que é tão claro que passa a ser a explicação quase-oficial de um conceito importante para a equipe. É natural que isto seja difícil no início. Just do it.

Círculo da Gerência

O círculo da gerência ou diretoria é um pouco diferente. Isto depende muito do perfil da empresa e dos seus superiores. Talvez o seu superior atual seja uma pessoa aberta e interessada em novas formas de trabalhar, mas nem todos têm essa sorte. Se assumirmos que a sua chefe não alinha em novas formas de trabalhar, a melhor abordagem não é mudar tudo mas começar com pequenos ajustes.
Algumas coisas que pode fazer para mostrar que Pensamento Visual é útil e não apenas “bonecos”:

  1. Não comece por transformar as apresentações e relatórios. Durante as discussões apresente algumas anotações, esquemas ou registros que já fez e que são relevantes para o tema. Nem sempre conseguimos sintetizar uma ideia visualmente à primeira e se o tentar fazer ao vivo, pode acontecer que não atinja um resultado convincente. Se a sua chefe for cética pode usar isso como um argumento de que “Pensamento Visual não é útil”;
  2. Aproveite que os seus colegas já conhecem algumas das vantagens e já trabalharam juntos de forma visual e utilize as imagens criadas pela equipe para ilustrar uma ideia. Todos nós gostamos de ver o nosso trabalho reconhecido e é provável que você consiga alguns aliados no processo. Além do mais, ao contrário de temas muito técnicos, Pensamento Visual tem uma aura colaborativa e divertida que vai encorajar a participação;
  3. Aproveite as anotações visual criadas com os seus colegas e as exponha na sala. Não como uma exposição de arte, mas uma exposição de ideias e dados. Se quiser dar um passo ainda mais profissional, as transforme em poster ou contrate alguém para o fazer. 
  4. Quando montar uma apresentação que segue um modelo já estabelecido, pode tentar fazer um esforço adicional e criar um ou dois slides que resumem o conteúdo de forma visual. Esta ideia exige mais esforço ( você vai precisar trabalhar mais do que o habitual para criar esse primeiro modelo ) mas ela não oferece risco para o seu gestor. Se ele não gostar, basta remover os slides. Seria uma pena, mas não vai lhe causar problemas com o chefe.

Disseminar Pensamento Visual através de Canvas, o próximo nível:

Talvez a técnica mais interessante e desafiadora de todas: transforme tudo o que sabe sobre a forma da sua área trabalhar em um modelo ou canvas. Isto é uma forma incrível de mostrar que o Pensamento Visual é 80% Pensamento e 20% Visual. Um canvas não é algo necessariamente bonito ou alegre, é uma ferramenta e é visual.

Se optar por este caminho, comece por tentar entender os principais passos da forma de trabalhar da sua área. Envolva a equipe na criação de um esquema que represente esses métodos. Na hora de apresentar à sua chefe, mostre que foi um trabalho de grupo e que gostariam de ter feedback sobre o resultado.

Dizem que a melhor forma de se dar bem na carreira (além de ser competente e confiável) é fazer seu chefe brilhar. Dê-lhe a oportunidade de apadrinhar uma ideia e de a mostrar ao resto da organização. Terá um aliado para sempre.

Mais fácil do que você pensa

Como mencionamos acima, estas ideias foram pensadas para quem precisa convencer um gestor mais fechado. Naturalmente, se o seu chefe for mais flexível, você pode tentar pular algumas etapas através do diálogo em conjunto.

Apesar da fama atual, Pensamento Visual não é nada de novo. Neste ambiente de cada vez mais velocidade, colaboração e inovação, Pensamento Visual é a cola que une ideias e conceitos.

Para seguir as leituras, temos outros artigos práticos que pode curtir:




Compartilhar: